quinta-feira, 1 de setembro de 2011

365 dias sem ele


Difícil começar algo assim, tentando terminar. Há um ano conversava com uma pessoa que ainda não consegui definir. Tive um ano para pensar, mas não consegui encontrar as palavras certas. Há um ano, neste mesmo horário, eu estava sendo feliz. E sim, eu fui feliz muitas outras vezes, mas sempre, sempre, me faltou algo. É estranho dizer que eu ainda o tenha comigo, mas sim. E é pior ainda quando me perguntam quem morreu, e eu não saiba dizer realmente morreu ou não. Geralmente eu respondo que ninguém morreu, mas será? Eu sei que isso é bobo de dizer, mas neste um ano me passaram pela cabeça tudo, todas as alternativas que podiam existir. E eu já devia ter esquecido, ter deixado de lado, ter matado isso de uma vez por todas. O problema, é que nenhuma dessas alternativas vai trazê-lo de volta, e eu sei que é disso que eu preciso.

Uma época, eu me contentei. Eu aguentei, eu deixei de lado, sim. Uma época, chorar bastava, aliviava, preenchia. Hoje não. Antes as lagrimas eram presença, eu te sentia, e isso era tão bom. Eu deixava as lágrimas caírem em silêncio, enquanto ouvia apenas meu coração batendo seu nome e seus dedos tocando meu rosto em forma de lágrimas de saudade. Mas como você, as lágrimas secaram, e agora eu não choro mais, apenas dói. Dói muito, muito. Eu tento fazer algo para que talvez elas saiam de mim, mas eu não consigo mais.

Mas há algo que não sai da minha cabeça. Quanto tempo mais irei esperar? Um mês, dois? Eu realmente não desejo esperar mais um ano, ou dois, ou três. Eu não quero que ano que vem eu tenha de escrever algo assim de novo, ou mais triste. Eu preciso que você veja isso logo, eu preciso que você tente entender. Eu não quero meter na sua cara que estou morrendo, mas eu preciso que você volte, e que você note. Eu podia fazer milhões de pedidos, todos podiam. Mas eu escolhi você. A verdade é que eu podia ter escolhido tudo, mas eu escolhi o mais difícil. Escolhi amar-te. E se isso significa esperar, eu esperarei. 

3 comentários:

  1. Muito bom. Li do começo ao fim percebendo, lembrando e até intendendo esse sentimento o amor... Palavras escritas com carinho, atenção e principalmente um sentimento verdadeiro. Impressionante, enquanto lia vi e tive o prazer de lembrar o sentimento que é o amor, prazer, sofrimento mas sofrer por algo que valha a pena... Incrível.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir