domingo, 21 de dezembro de 2014

Ainda procuro inspiração para te escrever
para te dizer algo
mas me perco pelos bosques por onde vago
feliz
sem te esperar... 

Estou plena na luz do luar
E canto
Como se os ventos fossem chegar até ti

É que eu queria te levar
pro mundo das fadas
e te mostrar tudo lá
fazer você voar!
Mas você não vem...

Ah, mas minha alma é tão grande
E eu ainda tenho tanto o que pensar!
Às vezes penso que se eu não vivesse a poetizar
Te amaria menos

Então eu vou pelo mundo
Inspiro profundo
E sigo o amor
Por isso sei que vou te encontrar

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Montanhas

Ainda que os verdes campos e a flores amarelas me encham de inspiração, só dentro de mim existem os poemas que quero escrever. São poemas que pairam no ar e ecoam em minha mente. São instantes e só existe o presente, silencioso, leve e intenso.
Não quero viver só dentro de mim mas existe um jardim e eu ainda não senti todos os cheiros e nem vi todas as cores. Se só rimo com amores é porque existe algo em mim que é assim e eu só consigo sentir. E as palavras vêm e dançam comigo e é isso que eu sei fazer. Crio filosofias sobre o vento, procuro sinais nas estrelas, e de manhãzinha ainda tento encontrar asas de fada por aí. Só pra continuar acreditando que a vida pode ser mais bonita.
E se ainda tenho medo, é só porque sei que nem todos se libertaram ainda. O mundo é grande e as pessoas estão perdidas, as águas, poluídas, e os pássaros lamentam!
Liberdade, liberdade! Ouço o grito calado vindo da cidade que ecoa nas montanhas. Mas já é fim da tarde, e lá se foi mais um dia sem amar de verdade. 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

O sol brilhou

O sol brilhou
Beijei o céu
Cantei com os pássaros
Te encontrei nas nuvens

Acreditei no Amor
Admirei o abismo
Pulei
E renasci em flor

Senti as cores
Dancei na música
Do silêncio
Virei artista

Minha alma foi pelo mundo
Conheci a felicidade
Quis ser simples
Me tornei o vento
Ri do tempo
E amei para sempre

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Cálculos

Quero ir além dos cálculos
Quero ser o movimento certo
Me perder nos pontos de curvas e retas

Não preciso de nada exato
Entre vírgulas me faço infinita
Não me limito a paralela ou inscrita
Quero sair do papel

Sou viva!
Não preciso que me provem
ou me demonstrem
Me sintam!
Não quero ser fórmula
Não quero ser padrão

Quero ser tudo que eu posso ser
De cálculo a poesia
De silêncio a melodia

Perante suas ordens
Rebeldia
Que não se calcula
Não se segura
Mas cura
Do vestibular

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Essência

Estou dentro da minha consciência
Observo minha essência
E me pergunto
“Quem sou eu?”

Sou tudo
Ou sou Deus?
É ser
Ou não ser?
Lembrar ou aprender?

E quem estava certo:
Heráclito
Ou Parmênides?
Ou o imutável
É que tudo muda?

E a nossa origem:
Big Bang ou Génesis?
E o Abismo de Amor?

Só sei que sou
Tudo ou nada?
Não sei...

Só sei que nada ser
Só ser que nada sei

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Poemas metafísicos

Queria conseguir escrever
Os poemas dos meus pensamentos
Mas eles vêm e vão
Queria escrever o que eu vejo
Escrever o que sinto
Mas ainda não consigo rimar
Tamanha imensidão

Rimar os atos
Os átomos
As luzes
Os sons do silêncio
Com o violão

A verdade é sensível
Pura e flexível
Acredite no incrível!
Os poemas mais bonitos
São metafísicos

domingo, 18 de maio de 2014

Legalize o amor

Se o amor fosse legalizado
A gente se olharia nos olhos
Aprenderia a ouvir
E a falar sem medo

Se fosse legalizado
Haveria mais dança na rua
Conversaríamos com os pássaros
E nunca amaríamos em segredo

Flores não seriam trocadas por dinheiro
E compreenderíamos mais o escuro
Seria mais seguro
Se entregar

E amar seria um ato concreto
Sem precisar de decreto
E livre de preconceitos

Legalize o amor!
Para que ele possa
Ser cultivado legalmente
Em todos os corações

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Maio

    Maio amado, 
suas luzes no horizonte brilham para mim. Ainda trago tudo, não me esqueço. O horizonte me lembra de tudo que vi. Algumas noites parecem passado. Ainda sussurro o silêncio do adeus.
Não sofro, apenas escrevo. O tempo passa, mas ainda me vejo lá. E permaneço observando. São instantes, como as estrelas que vejo no céu escuro.
Te vejo, amado Maio.
Estamos todos aqui. 

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Bem-te-vi

Bem-te-vi
E o canto dos pássaros
Faz mais sentido
Quando olho pra ti

Te vejo bem
O tempo para
Pra você passar
No ritmo do vento

Bem-te-lembro
Você foi sempre radiante
E o céu azul
O seu melhor cenário

Bem-te-sinto
E sei que você também sente
A gente se sintoniza
Na mesma nuvem

Deixa tudo pra lá
Meu bem
E vem escutar comigo
O canto dos passarinhos

terça-feira, 15 de abril de 2014

Respirar

Inspiro oxigênio
Expiro amor
A beleza sempre está
Por onde vou

Inspiro
O alucinógeno das árvores
E observo a vida
Fazendo arte

Meu pulmão transforma
Poluição em poema
E meus suspiros se declaram
Para o céu azul

A respiração
Expande a mente
Confia mais na vida
Quem respira profundamente

domingo, 30 de março de 2014

Vontade de amar

De todas as coisas que espero
E de todas as coisas que deixo
Ainda sinto o desejo de amar

Amo, as vezes, de longe
Observo os instantes
E deixo passar

E amo de perto
Os amores incertos
E os encontros tão belos
Que a vida me dá

Os amores que se foram
Mas que ainda amo
Sem me apegar

E dos amores que me abraçam
De braços abertos
Sem medo de se doar

E não me engano
Pois do amor
Só ganho mais vontade
De amar

sexta-feira, 21 de março de 2014

Cachoeiras

Ainda quero saber outras línguas
Ver novos olhares
Descobrir novas estrelas
Plantar novas flores

Quero pensar além
E dizer amém
Para outras cachoeiras

O Sol sempre o mesmo
Mas diferentes pôr-dos-sóis
Ver a Lua de outro ângulo
E me conhecer mais por dentro

Sentir o vento
E vê-lo passar
Ouvir o silêncio
De outro lugar

E ter sempre a mente
Presente
E existir a cada instante
E para sempre

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Ramos de flores

Eu vejo as cores dos humanos
Os ramos de flores
Que nos cobrem a alma

Os jasmins no cabelo
Os lírios nas pontas dos dedos
Os girassóis nos olhos
E as rosas nos beijos

Eu vejo as nossas primaveras
Sinto o nosso perfume
O vento passando
E as borboletas pousando na gente

O ser humano é a semente
Nossa mente é cor
Nosso corpo é flor
Basta amor para flor-e-ser

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Palavras pequenas

Quero
Me declarar
Para você

Em silêncio
O vento 
Diz por mim

Eu
Preciso
Te tocar

O universo conspira
Para eu 
Te amar

Eu quero poetizar
No teu ouvido
Palavras pequenas

E ser só
Simples
Amor

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Quem és tu

Quem és tu
Que me vê
Mas que não vejo

Quem és tu
Que me abraça pra eu ficar aqui
Quando peço-te pra fugir

Quem és tu
Que conversa comigo
E ri de mim
Quando estou só

Que me fala das flores e da dor
Que me chama de louca
E canta pra eu dançar

Tu
Que sabe dos meus amores
E te declaras inesperadamente
Em poemas silenciosos

Não és tu
O amor
Que procuro em todos
E nunca encontro?

O amor sutil
Sem rosto
Eterno e manso

O amor do encontro
Entre o sonho e a realidade
Nós