quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Montanhas

Ainda que os verdes campos e a flores amarelas me encham de inspiração, só dentro de mim existem os poemas que quero escrever. São poemas que pairam no ar e ecoam em minha mente. São instantes e só existe o presente, silencioso, leve e intenso.
Não quero viver só dentro de mim mas existe um jardim e eu ainda não senti todos os cheiros e nem vi todas as cores. Se só rimo com amores é porque existe algo em mim que é assim e eu só consigo sentir. E as palavras vêm e dançam comigo e é isso que eu sei fazer. Crio filosofias sobre o vento, procuro sinais nas estrelas, e de manhãzinha ainda tento encontrar asas de fada por aí. Só pra continuar acreditando que a vida pode ser mais bonita.
E se ainda tenho medo, é só porque sei que nem todos se libertaram ainda. O mundo é grande e as pessoas estão perdidas, as águas, poluídas, e os pássaros lamentam!
Liberdade, liberdade! Ouço o grito calado vindo da cidade que ecoa nas montanhas. Mas já é fim da tarde, e lá se foi mais um dia sem amar de verdade. 

2 comentários: