quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Tons de azul

Poesia em tons de azul
Nem silêncio nem som
Os movimentos das ondas do mar
E os sentimentos em meu coração

Que onda é essa que
Com o fluir das águas se cria
Com o vento se transforma 
E leva em todas as suas formas
A essência da lua cheia?

Chega na areia
Ainda tenta se encontrar
Quem sabe vira seria
E volta pro mar

Quão vasto é esse azul, sem fim?
Onde vou de onda em onda
De instante em instante
Em forma e ser...
Mas sem nunca chegar a ser, enfim...

Só sentir...
E me transbordar de mim
Sentir o mundo, o mar profundo
Mergulhar em ar e mar
E amar

domingo, 7 de agosto de 2016

A bola

Lá vem a bola,
atravessando a quadra
determinada
voando pelos ares
atraindo olhares

Corre a bola
ainda mais rápido que a criança
a bola dança
segue sua trajetória
não para, não cansa

Parece até arte, ser bola
mexe com o coração do menino
balança a rede
cria um caminho

e rola, e rola...
sem competir com ninguém
a bola vai à frente dos passos
sempre além

Eu, como poeta, vivo me perguntando quem sou
já a bola, vai com pressa
querendo entrar no gol

sábado, 30 de julho de 2016

Poesia estrelar II

Esta poesia
não está no papel
está nas estrelas...

Infinito céu,
guarda tudo que sinto,
minhas intuições

Ilumina meu caminho,
brilha a minha dança
e guarda meus véus
enquanto eu dormir

E quando estiver tarde,
como agora,
permita-me mergulhar nesta misteriosa
e verdadeira escuridão
pois sou tão pequena...

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Instantes distantes

Te escrevo, de longe

Qual é o instante
A inspiração ou o anseio
Que guarda um sentimento
Tão presente
E tão passageiro?

O silêncio sussurra-me algo de amor?
De onde veio?
Por que meio
minha mensagem chegou?

Vem de longe o que te escrevo...

Mensagem profunda
Instantes de eternos silêncios
E sussurros de amor em seus sonhos
Distantes e passageiros...

domingo, 24 de abril de 2016

A paz
Vem do movimento
Do coração
Não simplesmente amor,
Mas amar

Estou em um sonho
Sonho que sonho
Sonho que amo
E me desiludo com esse amor

Ilusão
Onde não há expressão
Não há movimento
Me perco no intento
E não há paz

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Silenciosamente

Silêncio.

As palavras são pensadas
ou gritam por si só,
nas aulas e nas madrugadas?

Nos calamos e o mundo se expôs
Muitas palavras...
Mas nenhuma que tu me propôs
Alguém está me chamando
e eu não posso ouvir...

Há um silêncio para se descobrir
Não sei se é ouvido de poeta
ou meu coração que não se aquieta
Mas sinto! Silenciosamente
E sinto muito
Por não estar presente

Mas há muito mais
Entre o silêncio e a mente
Do que os que chamam
E os que se ausentam

Sobre propostas de redação em aula quando nossos sentimentos voam longe... 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Voa longe

É um longo caminho
Tu nasceu menino
E virou passarinho

Agora voa longe,
Pousa na árvore
Faz teu ninho
E num vive sozinho

Conhece o mundo!
Mas procura um sentido
Pro azul infinito
Sobre ti

Canta o teu momento,
que é o mesmo vento
que formou a onda 
onde mergulho

Bate suas asas
À procura da Liberdade
Esquece de tudo...
Pois ainda penso que ser livre
É confundir-se com o azul céu 

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Entre o amor e o vento

Meu amor se fundiu
Com o azul do céu
Vi além das nuvens
As estrelas que ainda brilham de dia

Guia meu caminhar no cosmos
Ilumina meu olhar
Explode meu coração
Em milhões de galáxias

Descubro tantas estrelas
Nas pessoas
Na beleza de ser o que é

Quero ser o movimento
Fora do tempo
Entre o amor
E o vento

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Desperta

Inspiro amor
Vejo além
Quero te mostrar,
meu bem

Abre uma flor
Desperta
Percebe o mundo
Encontra um olhar

Sinto
E vou profundo
Até chegar em ti
Aprofunda-te!

O equilíbrio entre
Ser e não ser
Unificar 
Tornar-se tudo