sábado, 30 de junho de 2012

Escolhi escrever

Hoje o Sol está brilhando o bastante para eu escrever um texto cheio de sonhos e amor. O céu está lindamente azul, quase que me dizendo “escreva sobre como é bom viver”, mas essas coisas dificultavelmente passam pela minha cabeça.
Já não ouço os pássaros quando ando por aí nas manhãs frias. Há quem diga que eu deva tirar um pouco a música dos meus ouvidos e apenas parar para apreciar o mundo em silêncio, mas só o que eu conseguiria ouvir seriam os carros e suas buzinas. Além disso, já há um grande silêncio dentro de mim, que grita por palavras bonitas e mais amor e mais paz e mais músicas e mais beleza em tudo, e se eu tirar a música provavelmente fique surda.
Eu prefiro simplesmente me esquecer, na maior parte dos dias, e continuar calada, porque se eu for abrir a boca as lágrimas vão cair e as cicatrizes vão aparecer, vou parecer tão louca e imbecil, e provavelmente as pessoas que me conhecem vão me achar tão outra pessoa que não vão entender nada e simplesmente ir embora. Ou não. Mas, bem, eu prefiro não arriscar.
Escolhi as palavras (mesmo que as tristes), porque você lê como se tudo estivesse bem. Alguém lê meus textos com um ar desesperado e gritando e chorando e com uma música triste, com olhos tristes e depois fica alguns instantes calado porque se perde nos sentimentos e mais sentimentos que havia guardado toda essa semana? Acho que não. O texto guarda palavras silenciosas que começam e acabam aqui. Sem olhares, abraços, lágrimas ou qualquer demonstração de preocupação ou dó.
As palavras podem ser tão fortes como o Sol e tão lindas como o céu azulado, mas elas pararão de brilhar na tua vista quando você simplesmente desistir de ler isso, desviar teu olhar pra algo mais interessante ou se cansar de ler os mesmos desabafos de sempre. O Sol está sempre aí, e não adianta querer fugir, porque ele vai aparecer amanhã de manhã e te obrigar a acordar. E se não for amanhã, será depois de amanhã. E até seu coraçãozinho não aguentar mais bater, e até você poder agradecer por finalmente não ter que ler mais nenhum livro chato com palavras cujo você se perde ou não entende o significado. Eu acho que seja assim com a maioria das pessoas. Mas talvez você se salve. Talvez goste do céu azul e consiga fazer músicas lindas sobre tudo isso aqui. Talvez você consiga usar as palavras de uma forma mais bonita do que eu. Bonitas no sentido de feliz, porque dizem que é bonito ser feliz. Mas visto que eu já não me importo muito com a beleza das coisas, eu já não me importo de não sair por aí com um sorriso e tirando fotos de paisagens floridas.
Talvez se tua voz for bonita você prefira cantar tuas felicidades ou tristezas e se torne famoso e amado. Talvez você viva momentos lindos e guarde todos na memória, componha músicas sobre eles e sinta menos saudade que eu. Quantas memórias minhas dariam uma história que alguém gostasse de ler? Acho que as palavras chamam menos atenção que “tchu tcha tchu tcha” ou sei lá qual é a ordem disso. Quantas frases você tem guardada na memória para recitar todos os dias pra si mesmo para conseguir aguentar mais um dia? Quantos livros você tem em casa e quais são suas palavras preferidas?
Acho que a maioria das pessoas prefere simplesmente ver um pôr-do-sol ao som de um violão. Eu também gosto disso, muito, mas há algo que me atormenta e provavelmente me faria ficar em silêncio torcendo para a luz não voltar a aparecer amanhã. E ia doer e fazer surgir frases na minha cabeça que eu esqueceria em uma hora, mas que me deixariam ansiosa para anotá-las em qualquer lugar e torcer para alguém achá-las e me olhar e sorrir, ou chorar, mas calados. Porque eu peguei essa mania de odiar que recitem minhas palavras alto. Acho que é isso: elas ficam vibrando por aí e nunca acabam, ou acabam, não sei ao certo como é a velocidade do som, mas sei que doeria e me deixariam no mínimo surda.
Acho que me viciei em palavras e silêncio. Meu silêncio. O mundo não para, não se cala, não descansa. Eu poderia passar as madrugadas sem andar ou fazer passos de ballet apenas para não ter que ouvir meus pés batendo levemente no chão. Não sei dizer se esse vício é pior ou melhor do que drogas. Não se sabe até que ponto escrever me faz feliz ou triste. Eu posso escrever uma carta para um amigo que vive em outro país e dar mil sorrisos ao saber que ela chegou e ele pode ler minhas palavras gritantes, mas eu posso escrever uma carta dizendo adeus a tudo, e nunca mais chorar, nem sorrir. Talvez eu devesse temer as palavras, mas prefiro simplesmente escrever. Provavelmente se eu as temesse, escreveria sobre isso. Mas eu não temo, e estou escrevendo sobre não ter medo algum de escrever letra por letra de um texto enorme como esse. E mesmo se as palavras terminarem de acabar comigo, eu não me arrependeria. Eu amo palavras. Assim como morreria por amar aquele alguém, morreria pelas palavras. Eu acho bonito. Não que eu me importe com a beleza, mas é bonito. Talvez as palavras não gritem, mas talvez sufoquem. Talvez as palavras dancem (e eu acho que dançam, você não vê?) e peguem teu pé de noite. Eu espero realmente conseguir escrever sobre toda dor e todo amor e ainda conseguir escrever adeus quando for a hora do adeus. E que isso se torne bonito, independente da palavra a ser escrita ou do tamanho do texto que ela formar, mais bonito que o Sol e o céu e as estrelas e a Lua e todas essas coisas que as pessoas acham bonito. E então vai valer a pena ter deixado de ver o pôr-do-sol para escrever um texto quando já não há mais luz no céu, enquanto eu me escondo das luzes da cidade. Acho que escrever é o vício mais bonito que tem.

13 comentários:

  1. Irenita, por mais que eu ame ouvir e fazer música, tenho que concordar que a escrita é algo que me ajuda a exprimir melhor o que sinto. Creio que isso deve ser igual para todos, não é? Ao longo dos tempos fui acompanhando a tua escrita e digo-te com toda a sinceridade que nunca ninguém se exprimiu tão bem na escrita como tu. - Mingo

    ResponderExcluir
  2. Irenee ficou lindo mesmo kkk
    Um abraço do Enzito aki! continue escrevendo para que eu possa ler esses teus textos magníficos kkkk

    ResponderExcluir
  3. Ficoo LIIINDO ! Gostei muito ! Continue assim ! Irei ler todos =D Beijão

    ResponderExcluir
  4. ficou maneirasssssssss o/

    ResponderExcluir
  5. Melhor do que escrever é poder ler um texto assim tão bonito, é, eu sei, você não se importa com o que é bonito, mas ainda assim digo que seus textos são todos muito bonitos.
    Beijo, Lu.

    ResponderExcluir
  6. se expressa tão perfeitamente, parabéns, amei.

    ResponderExcluir
  7. grande mas valeu a pena ler cada palavra

    ResponderExcluir
  8. Interessante! Cada texto tá ficando melhor que o outro.

    ResponderExcluir
  9. Escrever é mesmo um vicio, e um vicio extremamente bom!

    ResponderExcluir
  10. Texto grande mas bonito. Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Por favor continue escrevendo essas coisas maravilhosas e inspiradoras

    ResponderExcluir
  12. Ótimo texto chemin.

    ResponderExcluir